CELEBRAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS PELO DIA DA REFORMA E INAUGURAÇÃO DA CATEDRAL

Mais
9 meses 3 dias atrás - 6 meses 2 semanas atrás #341 por Henry Mompean Orleans-Grimaldi (jonfonpa)
Palavras de Abertura

É motivo de grande alegria celebrarmos no dia de o o 502º aniversário da reforma protestante. Comemoração esta que nos remete a um singular ponto na história humana, não de simples sisma, movida por egos humanos, mas da ação providencial de Deus por meio de um servo audacioso e zeloso por sua palavra.

Convido todos a louvarmos com o hino intitulado Castelo Forte.
Louvor
Castelo forte é nosso Deus.
Espada e bom escudo;
Com seu poder defende os seus
Em todo transe agudo.
Com fúria pertinaz
Persegue Satanás,
Com artimanhas tais
E astúcias tão cruéis,
Que iguais não há na terra.


Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos podiam assustar,
Nem somos derrotados.
O grande acusador
Dos servos do Senhor
Já condenado está;
Vencido cairá
Por uma só palavra.


A nossa força nada faz,
Estamos, sim, perdidos;
Mas nosso Deus socorro traz
E somos protegidos.
Defende-nos Jesus,
O que venceu na cruz,
Senhor dos altos céus;
E, sendo o próprio Deus,
Triunfa na batalha.

Sim, que a palavra ficará,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa.
Se temos de perder
Filhos, bens, mulher;
Embora a vida vá,
Por nós Jesus está
E dar-nos-á seu reino.


Pregação

Convido ao presentes a meditarem comigo naquele que foi o estopim da inspiração de Deus para Lutero e suas teses, o versículo que se encontra na carta aos Romanos 1.17:

"visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé."

A fé protestante se originou em um tempo de escândalo quando Zohann Tetzel, um monge dominicano, apareceu na Alemanha e foi por todos os lugares vendendo certificados de indulgências. Lutero, monge agostiniano e professor na Universidade de Winttemberg, ficou enfurecido, falando vigorosamente contra estas atividades e denunciando todo negócio como um escândalo de imensas proporções, defendendo que a igreja tinha que ser salva deste terrível tráfico de indulgências.

Foi no dia 31 de outubro de 1517 quando Martinho Lutero foi para frente da porta da igreja do castelo de Wittemberg, com um documento em uma mão, um martelo na outra e afixou na porta uma lista com noventa e cinco protestos contra a venda das indulgências. Anunciando ao povo, que estava sobre os seus cuidados, que eles haviam sido cruelmente enganados. Os certificados de indulgências não garantiam a remissão de pecados e não podiam garantir a salvação deles ou dos seus parentes mortos.

De fato, Lutero, naquele ponto, acreditava que o papa ficaria agradecido por um dos seus monges ter tido a coragem de se levantar para defender a igreja contra este abuso escandaloso. Lutero não sabia que esta corrupção já havia permeado a cúpula em Roma. Nem tão pouco que o para Leão X e Albrecht, o arcebispo de Mainz, haviam organizado a venda de indulgências e apontado Tetzel como seu representante. Ao contrário de gratidão, Leão X estava totalmente enfurecido com as ações de Lutero.

O protesto de Lutero não era de todo negativo, e a palavra "protestante" realmente não é um termo pejorativo. A palavra é derivada do latim, da preposição PRO, que significa "para", e o infinito TESTARE, "testemunho". Um protestante, então, é um que testemunha - um protestante é uma testemunha de Jesus Cristo e da Palavra de Deus. O protestantismo, então, não é meramente o protesto contra a corrupção eclesiástica e o falso ensinamento; é o reavivamento, o renascer da fé bíblica, um renascer do cristianismo do Novo Testamento, com uma ênfase positiva sobre as doutrinas das Escrituras, Graça e Fé. Dito no belo latim do século XVI, o Protestantismo proclama SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE. Estes são os três princípios do protestantismo.

Dentre os legados do grande reformador, podemos destacar a convicção de que o evangelho é o Senhor Jesus, pela fé nEle vivemos, não por nosso mérito, mas pela confiança de que ele é suficiente. Olhamos para Efésios 2.8: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus" e compreendemos que a salvação e a remissão dos pecados não são, nem nunca serão por nosso merecimento. Elas não podem ser compradas, apenas a graça pode concede-las.

Vivemos pois num tempo em que é importante nos voltarmos ao zeloso fervor que moveu Marinho Lutero, a inquietação com a corrupção, a busca do genuíno sentido das Sagradas Escrituras. Não num evangelho fácil e cheio de promessas de prosperidade, mas entendendo que quando olhamos para a verdadeira Palavra, ela nos transforma pela ação do Espírito Santo. Conforme está escrito em 2 Timóteo 3.16 e 17: "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra".

Diante disto, me permito traçar 4 desafios as quais este tempo nos é conveniente a ressaltar, todos baseados no sentido verdadeiro da reforma:

1º Desafio: Viver a centralidade das escrituras;

2º Desafio: Viver pela justificação pela fé;

3º Desafio: viver o sacerdócio universal de todos os crentes;

4º Desafio: viver para a glória de Deus.

Em resumo: Ser uma igreja é uma constante luta para ser aquilo que Deus revelou nas escrituras. Ler, estudar e aplicar as escrituras, deve ser um hábito constante, não só na Igreja, mas principalmente em casa. Não podemos negligenciar o tempo do estudo da palavra e da oração. Só ensinamos aquilo que somos. Lembrando sempre: Não é Deus que existe para nós, mas nós fomos criados por Ele é para Ele.

Oração

Senhor, graças te damos pela oportunidade que nos dá neste dia, por podemos louvar e bendizer o teu nome neste lugar, nos lembrando da obra que tu fizeste por meio dos teus escolhidos. Ajuda-nos a ser instrumentos da tua vontade, conforme teus sábios decretos. Em nome de Jesus, amém.

Henry Mompean D’Orléans et Valois
Príncipe da França
Duque de Soissons
Conde de Mompean
Barão de Lille
Embaixador Francês
Comandante da Guarda Real Francesa
Secretário do Ministério da Relações Exteriores
Senador Real
Prefeito de Lille

Chanceler Oficial da Ordem da Mão de Ferro
Cavaleiro da S. Ordem Imperador Carlos Magno – S.O.I.C.M.
Medalha do Mérito da S. O. Militar Joana D´Arq – S.O.M.J.A.


Súdito da Coroa Francesa

Anexos:
Last edit: 6 meses 2 semanas atrás by Henry Mompean Orleans-Grimaldi (jonfonpa).

Por favor Acessar ou Registrar para participar da conversa.

Tempo para a criação da página:0.243 segundos
Não somos membros de qualquer nação real ou movimento separatista.
Este WEB Site destina-se única e exclusivamente aos praticantes do hobbie chamado micronacionalismo.
Todos os direitos de imagem e nome reservados a nação italiana real.